É muito ruim quando não sabemos ao certo o que significa uma palavra ou expressão não é mesmo?

Eu passei muito tempo imaginando que aerografia era o mesmo que o graffiti, mas nem fazia ideia, agora vou esclarecer para você a aerografia é algo totalmente diferente do graffiti, porém, tem alguns aspectos similares.

Nesse artigo vou te explicar o que é a aerografia e como você pode começar nesse ramo que permite você customizar carros, motos, paredes e até mesmo camisetas.

Olha só o que você vai aprender neste artigo:

  • A verdadeira história da Aerografia.
  • Quais os equipamentos necessários.
  • Quais os tipos de aerógrafos são mais indicados.
  • Qual compressor usar para realizar aerografia.
  • Qual tinta necessitamos para realizar nossas pinturas.
  • Como realizar a primeira pintura.

A aerografia é uma forma de arte e tem uma técnica de pintura e ilustração semelhante ao grafite, mas a ferramenta que se utiliza é aerógrafo e a pistola para fazer os desenhos.

O graffiti é muito parecido, devido o uso de latas de spray que lembra os compressores e o aerógrafos, que também permitem realizar traços finos proporcionando ótimos resultados.

Qual a verdadeira história da aerografia?

Estudiosos da arte dizem que a aerografia surgiu na pré-história, quando homens da caverna assopravam pigmentos (tinta) através de tubos derivados de osso de animais e bambus.

Contemporaneamente, foi utilizada na indústria fotográfica do século XVIII como equipamento de retoque de fotografias, posteriormente, sua utilização se deu ao nível industrial para pintura de peças e acessórios.

Hoje em dia, é utilizado em diversas áreas como modelismo, artes gráficas, personalização de motocicletas, capacetes, aplicação de bronzeamento a jato, carros e seus acessórios, aplicações em funilarias diversas, aplicação de tatuagem temporária, aplicação de maquiagem, pinturas em MDF e pulverizações, em geral.

Quais equipamento são necessários?Quais são os equipamentos necessários para aerografia

Os principais equipamentos para fazer aerografia são os aerógrafos, pistolas de pintura e o mais importante o compressor ele que vai gerar ar comprimido para pulverizar a tinta com a utilização do aerógrafo ou pistola.

Vamos entender um pouco mais sobre os aerógrafos

O Aerógrafo é o principal instrumento utilizado nessa arte, consiste num objeto similar a uma caneta, com um reservatório de tinta e ligado a uma mangueira de ar comprimido.

O moderno aerógrafo foi inventado em maio de 1878, pelo americano Abner Peeler. Três anos mais tarde, em 1881, Peeler vendeu os direitos de sua invenção para Liberty Walkup por US$ 700 (setecentos dólares).

Em 1883 surgiu a Rockford Air Brush Company, fundada por Walkup para fabricar o primeiro aerógrafo e comercializá-lo ao mundo.

Atualmente existem inúmeras marcas de aerógrafos, sendo nacionais e internacionais podendo custar mais de R$ 1.000,00 um modelo de alta precisão.

No brasil dificilmente encontramos empresas que tem foco total nesse ramo, para manter a linha de aerógrafos sempre com as tecnologias mais atuais.

Em um artigo que preparei você pode saber melhor sobre qual aerógrafo podemos iniciar e onde podemos comprar para começara a fazer aerografia.

Mas antes você precisa saber que existem dois tipos de aerógrafos e vou explicar para você a seguir.

 Aerógrafos de Ação simples

Modelo de aerógrafo de ação simples

São aerógrafos onde não é possível, através do gatilho, ajustar o foco e a emissão de ar e tinta, mantendo sempre um fluxo constante da mistura.

Esse modelo permite se trabalhar aplicado em peças diversas, modelismo, preenchimento de superfícies e efeitos diversos. Podendo ser usado em trabalho de desenho, mas neste, exige virtuosidade por parte do artista.

Como vantagem, possui baixo valor em relação ao de dupla ação e manutenção simples. Já a desvantagem é a limitação da performance.

As únicas variáveis que podem ser ajustadas é a pressão do ar, viscosidade da tinta e a vazão da tinta através do bico difusor, onde o ar e a tinta se encontram antes de atingir a superfície.

Aerógrafos de Dupla ação

Modelo de aerógrafo de dupla ação

Com este tipo de aerógrafo, o artista pode manipular com mais precisão, a quantidade de tinta e seu foco. A emissão do ar é apenas através do gatilho, sem a necessidade de ajustes para cada traçado.

Geralmente o movimento vertical (pressão sobre o gatilho) aciona o ar comprimido, e puxando o gatilho para trás abre-se a vazão de tinta.

Esse é o aerógrafo mais indicado para trabalho de desenhos com sombra e luz, que é necessária grande precisão no volume de tinta empregado, e controle do foco.

Como vantagem, temos a performance que havia dito, mas a desvantagem fica por conta da manutenção mais delicada devido à pinça central, seu valor de custo mais alto, além de ter como via de regra um reservatório menor de tinta.

Este é um tipo de aerógrafo indicado para artistas que tem controle das cinco variáveis da pintura que são elas:

O “spray” ou “pulverização do ar”, distância (entre o aerógrafo e o objeto sendo pintado), pressão, diluição (viscosidade da tinta), velocidade de aplicação e o leque.

Pode parecer complicado dominar tudo isso, mas, na verdade é muito simples depois de algumas horas de prática você já vai conseguir ir se adaptando.

Vamos entender um pouco mais sobre o compressor de ar

Entendendo sobre os compressores para aerografia

Na aerografia, utilizam-se compressores de baixa pressão (entre 3,5 a 5 libras), sendo necessário apenas para grandes trabalhos, o revezamento de ar em cilindros e tonéis.

Em via de regra existem manômetros ou reguladores de pressão entre o reservatório de ar comprimido e a mangueira que fornece ar ao aerógrafo.

São utilizados basicamente três tipos de compressores:

Onde não há reservatório de ar, o ar é emitido diretamente dos pistões (ou outros sistemas geradores de pressão) para a mangueira, alguns possuem um filtro de ar para eliminação de bolhas de água que se condensam neste processo.

Possuem tamanho menor, e pode-se transportar facilmente. Alguns modelos incluem o Wimpel, Schulz e JetMaster emitem cerca de 60 a 80 decibéis em ambientes fechados.

Onde há um reservatório de ar, é o mais utilizado pelos artistas que tem um orçamento baixo e nem deixam de fazer sua arte na aerografia. Permitindo fazer trabalhos grandes e pequenos.

Este modelo de compressor armazena geralmente de 20 a 25 litros, possuem tamanho e peso maior, tem como vantagem a vazão de ar maior e sua desvantagem fica por conta de seu peso e manutenção, por exemplo a drenagem e limpeza dos filtros.

Faz muito barulho principalmente em locais fechados, ficando entre 65 e 100 decibéis, não é muito recomendado se você mora em apartamento.

Utilizados em geladeiras e freezers ou em consultórios como dentistas.

Esse tipo de compressor que é uma variante dos compressores de “ar direto”, foi desenvolvido na década de 1990 de forma puramente artesanal e improvisada.

Tem como principal vantagem, a baixa emissão de ruído, entre 30 a 40 decibéis (o som de uma geladeira ligada), mas possui peso entre os dois anteriormente citados e como havia dito não são produzidos industrialmente.

Esses vem ganhando espaço entre os aerografistas amadores e profissionais.

Recomendação importante, caso você nunca Tenha tido contato com algo parecido recomendo que contrate um especialista para não danificar seu aerógrafo ou ter possíveis problemas com o equipamento.

E quais tintas e bases usamos para fazer aerografia?

As tintas utilizadas na aerografia são geralmente tintas a óleo, devido o fato de ser facilmente diluída em matérias solventes e diluentes a base de cloreto de zinco como o thinner e aguarrás, além de misturar-se com outras colorações.

Atualmente muitos artistas do ramo de personalização, utilizam tintas de pintura automotiva (base poliéster, nitrocelulose, acrílico e até poliuretano), pela facilidade de compras disponíveis em casas de tintas e tem uma variedade de cores e até mesmo fórmulas prontas em máquinas tintométricas.

São realizados misturas para se conseguir a cor ideal, a tinta não pode ser muito espessa, devido o fato de poder não fluir corretamente dentro do aerógrafo.

Alguns estúdios de aerografia mais equipados mais avançados possuem laboratório de design de cores, como um diferencial importante para a composição e especialmente criação de novas cores muitas vezes exclusivas.

Em especial após a criação dos pigmentos produzidos por nanotecnologia (cristais) citando como exemplo as linhas PPG Liquid Crystal.

A base é uma resina incolor ou quase incolor, ou seja, o material da tinta sem o pigmento, como o verniz.

Servem para preparação da área a ser pintada (primer), e para o toque final (verniz incolor), dando brilho ao trabalho.

Existem diversos tipos de vernizes para acabamento, entre eles verniz fosco, verniz emborrachado, verniz cerâmico nanotecnologia aeroespacial, verniz epóxi entre outros.

A maioria dos vernizes de maior resistência química e mecânica, é composto por dois componentes químicos (verniz + catalisador) onde após a reação química (cura) a película formada apresenta todos seus atributos e virtudes que seria o brilho e também a proteção da pintura.

Quais habilidades precisamos adquirir para fazer aerografia?

Conhecendo as técnicas para fazer aerografia

Por ser uma técnica que tem execução um pouco difícil, que depende tanto do artista quanto da qualidade dos equipamentos para aplicá-la, exige grande preparo do profissional ou estudante de arte.

Os resultados, porém, costumam compensar a dificuldade por ao serem finalizado são belos.

Diversas técnicas são aplicadas ao trabalhar com aerografia, no entanto, os aerógrafos possuem modelos distintos, com características adequadas a cada propósito de aplicação.

Ainda, vale mencionar que o resultado final de uma pintura depende de como se apresenta a superfície a ser pintada.

Em geral, é necessária uma preparação minuciosa da superfície, assegurando a uniformidade do resultado final, já que o brilho do verniz de acabamento ou até mesmo ondulações na superfície, podem tornar-se evidentes após o trabalho pronto.

Outro ponto importante na preparação da superfície refere-se à aderência, que é tão necessária à aplicação das técnicas como mascaramento e filetamento.

Stencil ou mascaramento

Arte realizada utilizando a técnica do stencil

O estêncil é uma técnica onde são recortadas figuras em cartolinas ou materiais plásticos que são denominadas máscaras.

São colocadas na superfície a ser pintada e você preenche com a tinta, assim, obtendo o formato recortado da máscara, projetado na superfície.

Essa é uma das técnicas mais utilizadas para se fazer aerografia, pois, permite que qualquer um que não tenha conhecimento com a arte de desenhar possa fazer ótimos desenhos e até permitindo personalizar carros e motos claro podendo obter uma renda extra se quiser.

Existem diversas técnicas que posso abordar em um próximo artigo.

Preparei para você entender melhor sobre esta técnica como realizar o desenho do Scooby-doo, nele desenho sem nenhum traço somente utilizo a técnica do stencil que você também é capaz de fazer com as dicas que lá estão.

Espero que esse artigo tenha esclarecido como você pode iniciar nesse ramo da aerografia e implementar novas técnicas em seus projetos.

Deixe seu comentário logo abaixo falando se você já conhecia a história da aerografia e se você utiliza outras ferramentas para realizar suas artes. Até o próximo artigo.